modelo 2010 - Criação de Relatórios


Vídeo do software D-CAPP e Criação de Relatórioso

O Detector pode armazenar os dados de 10 inspecções completas, cada uma com todas as informações – incluindo a data e hora – para até 100 locais.

Em qualquer ponto de uma inspecção o operador pode chamar uma série de relatórios apresentados graficamente no visor do Detector (Figura 1 e 2) indicando a intensidade do sinal, atenuação, profundidade da tubagem, coordenadas do local e condutividade aproximada do revestimento em relação à distância.

  





Figura 1 – Ecrã do modo "Pesquisa" normal  
   

 

Dados em qualquer ponto
da inspecção
Cobertura/Profundidade/Corrente

Gráfico de atenuação
2 falhas de revestimento
nesta secção

Gráfico da corrente
as 2 falhas indicadas
 

Gráfico da cobertura
variações na profundidade
da cobertura

Gráfico da profundidade
ao centro da tubagem
 

Gráfico de posição

 

Os relatórios do dia armazenados no computador do podem ser facilmente transferidos para outro computador para arquivamento e/ou podem ser impressos directamente como uma tabela (Figura 3) ou – usando o software próprio do C-SCAN – como uma apresentação gráfica.

(Figuras 4 a 7)

 

Figura 3 –
Relatório em "Tabela" impresso

 

 

 


Figura 4 - Apresentação gráfica do software

A Dynalog fornece o programa como padrão.

O programa permite que um Detector C-Scan transfira todos os dados da inspecção para o PC e produza automaticamente um relatório com gráficos.

O Detector é conectado ao PC através de uma ligação série RS232. Os dados são transferidos utilizando a função IMPRIMIR.

Utilizando o "painel frontal" que aparece no ecrã, pode-se seleccionar diversas funções:

 

Iniciar o procedimento totalmente automático de transferência e formatação. Isto produz o relatório automaticamente, completo com gráficos de PROFUNDIDADE, CORRENTE e ATENUAÇÃO. Se estiverem presentes dados do GPS, é produzido um gráfico posicional de cada ponto da inspecção, indicados como offsets em metros do ponto de partida da inspecção.

Chamar e visualizar o "antigo" para ficheiros em DOS, visualizados no novo formato.

Manipulação dos dados fonte para correcções – com uma função reformatar.

Acrescentar dados de tubagens como pontos de referência, características do local e pontos CP, por ex: pontos adjacentes a árvores, ruas, postes etc., para os quais está incluída uma ampla gama de símbolos no visor do Detector

Exemplos de relatórios impressos típicos do são reproduzidos nas Figuras 4 - 7


Figura 5
 
Figura 6


Figura 7